Estudantes do ISBA são premiados em Olimpíada de Matemática

É com muita honra que anunciamos as vitórias dos estudantes e ex-alunos do Colégio ISBA na 13ª OBMEP (Olimpíadas Brasileira de Matemática), de 2017. Na premiação, que ocorreu na última sexta-feira (27), no Salão Nobre da Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), no bairro do Canela, 75 escolas de Salvador e Região Metropolitana foram contempladas. Ao todo foram 184 Menções Honrosas, 20 medalhas de bronze, 18 de prata e 9 de ouro.

Entre esses destaques na Matemática estavam nossos meninos. João Gabriel Lofiego, que estuda na 1ª Série do Ensino Médio aqui no Colégio ISBA saiu com a medalha de bronze pendurada no peito. A mãe, Marília Sampaio, era só orgulho durante o evento: “Já é o terceiro ano seguido que ele ganha. Fico muito orgulhosa pelo homem que ele está tornando.”.

Outro estudante da 1ª Série do Ensino Médio que deixou os familiares cheios de admiração foi Lucas Oliveira Porto Maia. Ele foi acompanhado da mãe e das duas avós, que eram só sorriso com a primeira conquista do neto. “Estou muito feliz por ele, e também agradeço ao ISBA pelo incentivo. Todas as escolas deveriam incentivar seus estudantes a participarem disso”, disse Erika Oliveira, mãe de Lucas, que levou uma Menção Honrosa.

Os outros a conquistarem este título foram os ex-alunos Arthur Oliveira Lago e Amon Alves Goritzki, que concluíram o Ensino Médio no ISBA em 2017, ano em que participaram da OBMEP. “As Olimpíadas são um grande incentivo para quem quer entender a Matemática, pois desmistifica a ideia de que é uma matéria chata e exata, porque apesar de o resultado ser preciso, existem vários caminhos para alcança-lo. Por isso, aprendemos durante a competição a ver os números como uma arte atingível.”, afirmou Amon, que foi aprovado em Física em diversas universidades, como UFBA e UNICAMP, mas escolheu uma instituição na Alemanha para cursar a graduação.

Considerada umas das maiores competições de Matemática do mundo, a OBMEP desde a sua primeira edição, em 2005, vem incentivando estudantes a seguirem as ciências exatas. Exemplo disso é Ana Cláudia Solonski Anton, que estudou no Colégio ISBA entre 1995 e 2011, e hoje compõe a mesa das Olímpiadas de Matemática como revisora das provas regionais. “Eu devo a minha escolha e a profissional que me tornei ao Colégio ISBA e, principalmente, ao professor Brandão, que me ensinou e alimentou minha paixão pelos números”, disse ela feliz ao reencontra-lo.

O professor, que acompanhou os “olímpicos” representando a instituição, também era só orgulho e felicidade ao reencontrar a ex-aluna e pelas novas conquistas desses estudantes que ele ainda ajuda a formar. “Fico feliz em ver a dedicação e animação deles pela Matemática”, falou modestamente Brandão, professor da matéria há 21 anos no ISBA.

Nossos parabéns e muito obrigada a todos vocês!