Casos de Sucesso – Vânia Abreu volta ao ISBA com seu primeiro livro

As lembranças dos últimos anos do ensino médio no Colégio ISBA, entre 1985 e 1986, ainda estão muito vivas na memória de Vânia Abreu. Por isso, ela guarda com carinho as recordações dos professores e das amizades que fez. Sete anos depois de terminar os estudos no ISBA, a cantora já ganhava o prêmio de banda revelação no Troféu Dodô & Osmar, no carnaval de 1993, e dava início a uma carreira de sucesso na música popular brasileira.

Como a educação baseada em valores sempre foi o diferencial do ISBA, ex-alunos como Vânia Abreu reconhecem a contribuição da Instituição na sua formação como cidadãos. “É um colégio muito comprometido com as causas sociais, extensivos aos mais necessitados. Essa foi uma formação que tive aqui como aluna e que me fez muito bem, porque não era um colégio que só estava preocupado em me fazer passar no vestibular, mas, sim, em me tornar uma cidadã pronta para viver em sociedade. Foram dias muito felizes”, relembra.

Ela se recorda muito bem dos nomes dos professores, a exemplo do professor Ivã, de Biologia, e do professor Cícero, de Português. “Cícero sempre brincava e escrevia coisas sobre o Bahia no quadro. Era muito bacana”. Vânia também fala do envolvimento que teve com as ações do grêmio estudantil e da participação na tradicional Gincana do ISBA. “Foi inesquecível. Inclusive, cantei e toquei violão (na gincana)”, recorda.

Mais de 30 anos depois, Vânia Abreu voltou ao ISBA. Mas não foi para cantar. E sim para apresentar às crianças do Isbinha sua obra de estreia como escritora, um livro voltado ao público infantil. “Eu e meu lugar” faz parte da coleção “Eu vim da Bahia”, da Editora Caramurê, e conta a história do carismático sambista Riachão, numa mistura de biografia e ficção. A coleção tem o objetivo de contar histórias que valorizem as pessoas e a cultura local da Bahia.

As crianças adoraram a visita e o livro acaba de ser adotado pelo projeto pedagógico do ISBA. Vânia Abreu, que já tinha um pedacinho da sua história gravado na linha do tempo do Colégio, e que também tem suas músicas gravadas na memória popular, agora deixa sua arte registrada na literatura para contribuir com a formação escolar de nossas crianças. Parabéns, Vânia!