Equipe Mamute leva o 1º lugar na Gincana 2018

Não é só uma gincana, é o maior evento de integração do Colégio ISBA. Estas não são palavras só da instituição, mas também de todos os gincanistas e “torcedores”. Mais de trezentos inscritos, entre estudantes dos Ensinos Fundamental I e II, do Ensino Médio e ex-alunos. Uma união, uma sadia competitividade e muita determinação foi o que mais se viu nos dois dias oficiais da Gincana do Colégio ISBA 2018. E depois de quase cem tarefas a Equipe Mamute levou o troféu de campeã deste ano. Mas, consideramos todos vencedores, pois as equipes Hexa e Braza também fizeram bonito e mostraram que mesmo com muita raça e vontade de vencer, o que importa mesmo é competir.

“É a primeira vez que estou participando da Gincana e descobri que essa experiência é a melhor forma de aprender a trabalhar em equipe, em conjunto, de aproximar pessoas de todas as idades correndo juntos atrás de um único objetivo que é vencer as tarefas, e mesmo que isso não aconteça que a gente saia de cabeça em pé e unido, porque sabemos que demos o nosso melhor”, falou entusiasmado o estudante da 2° série B, Pedro Aguile, que já tinha entendido o espírito da Gincana mesmo antes de saber que seria o vencedor com a equipe Mamute.

A fascinação desses adolescentes com a competição é tão grande que traz de volta até ex-estudantes que nem moram mais no Brasil para participarem: “Eu acho que a Gincana é uma das maiores experiências sociais que um aluno pode ter dentro do seu mundo limitado de casa-escola-estudo. Aqui tem respeito a hierarquia, trabalho em equipe, e tudo o que você precisa aprender pra enfrentar o mundo lá fora. É isso o que o mercado de trabalho exige e aqui você aprende de maneira lúdica.”, ressaltou Tuan Fachinetti, da equipe Hexa, que saiu do ISBA ano passado pra cursar universidade na Espanha.

E está pensando que são só os estudantes que entram na brincadeira? Os pais também levam a sério. E alguns, além de investirem na competição e torcerem pelo sucesso dos filhos, também vestem a camisa, literalmente, e sobem no palco pra ajuda-los a ganhar cada ponto suado. É o caso de Murival Santos, pai de Rafaela Fonseca da equipe Hexa: “Aqui é um momento único de ela me prestigiar e eu prestigiar ela, além do mais na véspera do dia dos pais. Não podia negar um pedido desse, e aqui é uma escola tão maravilhosa que a gente faz qualquer coisa também pela escola.”, disse o papai Murival que colocou um vestido, subiu no palco, dançou, interpretou e conseguiu não só deixar a filha Rafaela orgulhosa como também arrancou muitos sorrisos e admiração de quem assistiu a apresentação.

Assim como essa tarefa, outras cem foram cumpridas com tanto esmero e dedicação. E apesar de só uma equipe poder levar o desejado troféu pra casa, a missão foi cumprida. “Foi muito legal a Gincana, achei que valeu mesmo a pena participar. Meu maior aprendizado foi trabalhar em grupo, todo mundo cooperar e respeitar um ao outro para conseguir fazer um bom trabalho em conjunto. É a primeira vez que participo e certeza que não será a última.”, disse emocionada a estudante Júlia Ribeiro, do 6° Ano A, que competiu pela equipe Hexa.

Acorrentado, esquadrão, gincanista, não importa a posição que cada um tem no grupo, o que importa é fazer sua parte melhor para que no final todos saiam vencedores. Isso é trabalho em equipe, reconhecimento da importância de cada integrante, respeito pelo papel cumprido pelo outro, incentivo às habilidades de cada um, tudo isso foi visto e com certeza aprendido por todos que viram essa competição. Parabéns a todos os envolvidos que fizeram o melhor para tornar a Gincana de 2018 um dos maiores eventos realizado pelo Colégio ISBA.